Notícia

Brasil deve ter menor safra de soja em 3 anos, diz AgRural

Expectativa da consultoria é de que a produção totalize 112,5 milhões de toneladas.
Brasil deve ter menor safra de soja em 3 anos, diz AgRural

A safra de soja 2018/19 do Brasil, em colheita avançada, deverá totalizar 112,5 milhões de toneladas, projetou a AgRural nesta segunda-feira (11), em um corte de quase 4% ante a previsão do mês passado. A cultura ainda sente as condições climáticas desfavoráveis durante a fase de desenvolvimento, segundo a consultoria.

Caso a expectativa se confirme, o volume será o menor em três anos e ficará 5,7% abaixo do recorde de 119,3 milhões de toneladas de 2017/18. Também será cerca de 10 milhões de toneladas inferior ao que diversas consultorias e entidades projetaram em uma recente pesquisa da Reuters.

Em dezembro, calor e chuvas abaixo da média prejudicaram principalmente as plantações de Paraná, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, segundo a consultoria.

"Desta vez, todos os estados produtores tiveram cortes, com exceção de Rio Grande do Sul, Pará e Rondônia. Em relação ao ano passado, os Estados com as maiores perdas de produção são Paraná e Mato Grosso do Sul", afirmou a AgRural em boletim, referindo-se ao tempo ruim também em janeiro.

"Embora o Rio Grande do Sul tenha boas lavouras até o momento, as condições climáticas de fevereiro são decisivas para a produtividade gaúcha. As chuvas e as temperaturas de fevereiro também são importantes para a produtividade do Matopiba (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia), região que já registra perdas devido às condições desfavoráveis de janeiro", alertou a AgRural.

A divulgação dos dados ocorre um dia antes de a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), que em janeiro já cortou suas estimativas, soltar novas previsões para a safra do maior exportador mundial da oleaginosa.

 

Colheita

 

Segundo a consultoria, 26% da área cultivada com soja no Brasil havia sido colhida até a última quinta-feira (7), avanço de sete pontos percentuais na semana. Os trabalhos em 2018/19 estão bem acelerados em relação aos 10% de um ano atrás e os 12% na média de cinco anos.

 

"A colheita acelerada --puxada por Mato Grosso (57%), Paraná (30%) e Goiás (30%) -- é resultado de um plantio antecipado e rápido e do encurtamento do ciclo das lavouras em algumas áreas devido ao tempo quente e seco", explicou a consultoria.

 

Fonte(s): G1

Comentários

Últimas notícias

24 Out
Mundo
ALMT realiza primeira reunião da CPI da Energisa

Na reunião ficou definido membros que serão responsáveis pela CPI

10 Out
Mundo
Ibama diz que manchas de óleo já chegam a 139 locais em 63 municípios do Nordeste

Ibama diz que manchas de óleo já chegam a 139 locais em 63 municípios do Nordeste

10 Out
Mundo
Governo adota uso de tags para controle do abastecimento de veículos oficiais

Governo adota uso de tags para controle do abastecimento de veículos oficiais